As oficinas realizadas no Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico de Salvador, localizado na Baixa do Fiscal, aconteceram no ano de 2019 e foram resultados do projeto de intervenção de alunos do curso de Serviço Social como prática de disciplina que integra saúde e comunidade tendo como objetivo   promover o conhecimento de diferentes áreas de atenção em saúde, bem-estar e o aprendizado em grupos interprofissionais, contribuindo para a formação integral do estudante, compreendendo que o Serviço Social atua na perspectiva dos Direitos Humanos e na garantia dos direitos sociais fomentando a autonomia do sujeito e sua cidadania.  

O hospital de custódia e tratamento é considerado como um centro de tratamento de pessoas com transtornos mentais e que tenham praticado algum tipo de ilícito penal, ficando, portanto, custodiados pelo Estado e cumprindo medida de segurança. É um ambiente que comporta homens e mulheres, em alas separadas. A unidade possuía uma média de 150 homens e 12 mulheres quando ocorreu a visita para conhecimento do espaço e da dinâmica operacional institucional.

Entendemos que quando se trata de instituições públicas os recursos e ações são planejados de acordo com o plano de ação da secretaria a qual a instituição está submetida, neste sentido e diante do cenário que foi apresentado na visita, foram identificadas ações com possibilidades concretas de serem realizadas pelos discentes e que iriam dinamizar o tempo ocioso de homens e mulheres que cumpriam medida de segurança.

Após a realização da visita para identificar as possibilidades de intervenção, as/os 21 alunas/os de Serviço Social foram desafiadas/os por sua orientadora Profa. Jacqueline Soares, a pensarem uma proposta que pudesse atender o perfil das/os internas/os, considerando uma perspectiva de sensibilização sobre o meio ambiente, arte e cultura.

Como o local possui uma grande área aberta e ao ar livre, foram realizadas atividades como rodas de capoeira, oficina de pintura em tecido, tarde cultural para que as/os custodiadas/os pudessem desenvolver habilidades motoras e cognitivas através da dança, música, poesia e pintura. As atividades promoveram a interação em grupo, a prática de exercício físicos, dança, canto e declamação de poemas autorais.

Mesmo com parcos recursos, foi possível identificar que atividades sócio culturais podem promover resultados significativos para aquele público, no sentido da humanização da pena, oferta de bem estar, interação social, melhores condições para o desenvolvimento psicossocial e a dignidade da pessoa humana dentro do sistema prisional.

ATIVIDADES REALIZADAS:

  • Rodas de capoeira;
  • Oficinas de customização e pintura em tecido e camisas;
  • Grafitagem e pintura em muro interno da instituição;
  • Sarau musical e poético;
  • Baile de carnaval com confecção de máscaras;
  • Dia da beleza para as mulheres;
  • Pintura e customização de garrafas pets para vasos de planta.